Total de visualizações de página

segunda-feira, 4 de maio de 2015

CRB empata com Coruripe na primeira final do Alagoano: 1x1

Hulk e Galo ficam na igualdade na primeira decisão para o título estadual
Smack Neto (estagiário)*
Coruripe e CRB ficaram na igualdade na primeira partida da finalíssima do Alagoano. O jogo no Gérson Amaral, em Coruripe, foi corrido no primeiro tempo e após 10 minutos iniciais corridos na segunda etapa, com dois gols, o jogo ficou um pouco abaixo das expectativas e acabou ficando mesmo no empate. Na próxima partida, quarta-feira (06) no Rei Pelé, quem vencer fica com a taça. Em caso de empate, a partida seguirá para a prorrogação e persistindo o empate, o Campeão Alagoano de 2015 será conhecido na disputa dos pênaltis.



Os gols da partida foram marcados por WIlliames José aos 2 minutos do segundo tempo para o Hulk, e Clebinho empatou a partida logo aos 8 minutos da segunda etapa. O Galo saiu de campo um pouco mais satisfeito já que trouxe a decisão para Maceió, e acredita na força da torcida Regatiana para empurrar o CRB para mais um título alagoano, vingando a derrota do ano passado.



O Jogo 

Coruripe e CRB iniciaram a final em ritmo de estudo. As duas equipes começaram a partida sem querer se arriscar demais, parecendo saber que qualquer vacilo poderia mudar a história do confronto. Nos primeiros dez minutos, o Coruripe tentou partir para cima utilizando a velocidade de Ivan e João Paulo, principalmente pelo lado direito do seu ataque. Já o Galo tomou uma postura mais cautelosa, tentando trabalhar a redonda e esfriando os ânimos do Hulk praiano.




E foi com essa postura que aos 14 minutos o CRB quase chegou ao gol: Boa jogada de Fernando pela esquerda do ataque do Galo. Ele invadiu a área e cruzou a bola para trás. Na sobra, Clebinho dominou, chutou, mas a zaga do Coruripe salvou o chute que tinha a direção das redes alviverde. O Coruripe continuava imprimindo muita velocidade, tentando pressionar. Mas o CRB conseguia conter bem as investidas alviverdes e tocava bem a bola, mesmo sem conseguir criar grandes jogadas. Aos 24 minutos, o Galo conseguiu chegar de novo, numa cobrança de falta de Fernando, que passou muito perto do gol de Carlos.




O Coruripe, sempre pela direita, tentava criar jogadas perigosas para o Galo, mas não conseguia concluir bem as combinações do ataque. Mas aos 38 minutos, o Coruripe teve a melhor chance do primeiro tempo: após belo lançamento, Djalma recebe a bola dentro da área, toca na saída do goleiro Júlio César, mas quando ia encontrar as redes foi interceptada pelo zagueiro Gabriel, que tirou o perigo do gol do Galo. O Hulk ainda tentou pressionar no finalzinho da primeira etapa, mas o jogo ficou no zero ao final dos primeiros 45 minutos.

No segundo tempo, o jogo começou eletrizante. Logo aos 2 minutos, o Hulk abriu o marcador: Cobrança de falta na intermediária. Willames José encheu o pé na bola, que desviou na barreira, tirando qualquer chance de defesa para o goleiro do Galo. Era a vantagem que o Hulk precisava para utilizar a sua arma mais mortal: os contra-ataques. Já o Galo se lançou mais ao ataque e correu atrás do prejuízo logo aos 8 minutos. Fernando tabelou com Clebinho, que recebe na intermediária e arrisca de fora da área. O chute do camisa 7 Regatiano vai no canto esquerdo do goleiro Carlos, que nada pôde fazer.




A partir daí a partida teve mais 10 minutos eletrizantes, com ambas as equipes buscando o ataque. O Coruripe tentava voltar a frente, enquanto o Galo voltava a se aproveitar dos contra-ataques para virar a partida. O jogo parecia que seria eletrizante no segundo tempo. Entretanto, após os primeiros 20 minutos, o cansaço do Coruripe começou a pesar e o CRB também não se interessou em acelerar o jogo.




Nem mesmo as alterações nas duas equipes conseguiu recolocar o jogo em um ritmo mais interessante. A partir dos 25 minutos, o jogo ficou muito restrito ao meio campo, sem grandes chances para nenhuma das duas equipes. O CRB tentava jogadas pelo meio com Morais, que havia entrado durante o segundo tempo. Já o Hulk, passou a se valer de bolas alçadas na área para tentar superar o bloqueio do CRB. O jogo foi se arrastando e caminhando para um final sem emoções.




Só que aos 46 minutos do segundo tempo, o Galo teve um último susto: Após escanteio para o Galo, o Hulk saiu num rápido contra-ataque. Tiago Alagoano lançou Casagrande, que ganhou da zaga, dominou no peito já ajeitando a bola para o chute. O centroavante do Hulk mandou um foguete da intermediária, mas o goleiro Júlio César salvou o Galo de levar o segundo gol, segurando o empate na partida.

terça-feira, 28 de abril de 2015

CSA volta a perder para Coruripe e se despede do Estadual nas semifinais

Azulão precisava vencer, mas Hulk fez 2x1 no Rei Pelé e, agora, vai lutar pelo bi; time alviverde já está na Série D, Copa do Brasil e Nordestão
Bruno Soriano
A temporada 2015 terminou para o CSA, e novamente de forma desastrosa. É que o time do Mutange voltou a campo na noite desta segunda-feira (27), precisando vencer o Coruripe para seguir às finais do Alagoano. Porém, o Azulão foi novamente derrotado, desta vez por 2x1, diante de seu torcedor, que compareceu em bom número, mas viu o rival seguir adiante na competição.


Com o resultado, além da vaga na grande decisão, brigando pelo bicampeonato contra ASA ou Coruripe, o Hulk – que construiu a vitória ainda na primeira etapa, tendo sido fatal em dois contragolpes – já está garantido na Série D do Campeonato Brasileiro, enquanto que, em 2016, vai participar de Copa do Brasil e Campeonato do Nordeste.

- Clique aqui e confira os gols da partida!

Já pelo CSA, restou contentar-se com uma campanha pífia, pois, em 22 jogos disputados na competição, venceu apenas seis. Ao término da partida, poucos jogadores falaram à imprensa antes de descerem para o vestiário sob vaias, com o time alviverde a comemorar com sua pequena, mas vibrante torcida, que somou à renda de R$ 142.463,00 - para público total de 10.003 expectadores.

O Coruripe, agora, prepara-se para iniciar a disputa pelo título na tarde do próximo domingo, às 16h, no Estádio Gerson Amaral, em Coruripe, aguardando a definição do duelo entre ASA e CRB, com o Galo tendo a vantagem para o duelo da volta, nesta quarta-feira, em Arapiraca. Antes, porém, o Hulk terá longa viagem pela frente, encarando, na noite da próxima quinta-feira, pela Copa do Brasil, o Atlético-GO.



Passeio alviverde

O CSA tomou a iniciativa logo de início, entrando em campo com duas novidades em relação à equipe que começou a partida em Coruripe: o retorno de Samuel à zaga, no lugar de Romário, além de Rafael Aidar fazendo dupla de ataque com Reinaldo. Porém, foi o Coruripe, que entrou em campo com quatro desfalques, quem protagonizou o primeiro grande lance, aos quatro minutos, quando Aurélio recebeu na entrada da área e rolou para o atacante Edson, que chutou de primeira e viu a bola passar raspando o travessão.

O CSA respondeu dois minutos depois, quando Márcio Lima cruzou da direita e Aidar cabeceou entre os zagueiros no primeiro pau, mas para fora, à direita do goleiro Carlos.

Porém, o time da casa seguiu com muita dificuldade no quesito criação, sem espaço para a conclusão, além de ceder espaço para o perigoso contragolpe alviverde. E foi assim que o Coruripe abriu o marcador, aos 16 minutos. Djalma tabelou com Luiz Mário e chutou com categoria, rasteiro, acertando o cantinho direito do goleiro Jeferson: 1x0.

Dois minutos depois, o time do Mutange ainda respondeu em lance de Reinaldo, que foi lançado em velocidade pela direita e chutou cruzado. A bola passou muito perto do poste direito do goleiro Carlos.

Já aos 24 minutos, Marcos Antônio saiu para a entrada de Zé Paulo. O CSA passou a atuar com três homens de frente, mas acabou perdendo seu meio-campo, já que Rafael Granja, o homem de criação, também não se apresentava como deveria. Pelo Coruripe, lesionado, Tiago Lima deu lugar ao também meio-campista Neudo.



Porém, o jogo permaneceu o mesmo e, para aumentar a dor de cabeça dos azulinos, o Coruripe ampliou aos 32 minutos. Em contra-ataque mortal, Djalma recebeu pela direita, venceu Sorim na velocidade e cruzou para Aurélio, que, livre de marcação, teve todo o tempo do mundo para tocar no canto esquerdo de Jeferson: 2x0.

O gol simplesmente calou o Trapichão, com o torcedor sem acreditar no que via. E antes de o árbitro catarinense Heber Roberto Lopes encerrar a primeira etapa, o CSA, mesmo sem muita organização, ainda chegou com perigo já aos 36’. Zé Paulo roubou bola pela direita, mas demorou a concluir e acabou chutando em cima da zaga, quando pelo menos três companheiros aguardavam o passe na grande área.

Samuel diminui, mas CSA dá adeus

Na segunda etapa, o time do Mutange ainda deu a impressão de que conseguiria alguma reação, criando boa chance logo com dois minutos, em lance de bola parada. O meia Rafael Granja foi para cobrança de falta pela esquerda e, mesmo sem ângulo, chutou direto, mas o goleiro Carlos espalmou para escanteio.

Já aos 10 minutos, Rafael Aidar saiu para a entrada do também atacante Afonso, e o Azulão diminuiu a desvantagem um minuto depois, após cobrança de escanteio da direita. A bola foi no primeiro pau e o zagueiro Samuel subiu mais alto que todo mundo para, de cabeça, tocar no canto esquerdo, sem chance de defesa para Carlos: 2x1.

O time da casa se animou com o gol e o CSA ainda processou a última alteração aos 17 minutos, quando o lateral Márcio Lima deu lugar ao meia Anderson Paraíba. Pelo Coruripe, Lorival Santos trocou Edson pelo também atacante Tito, enquanto o meia Aurélio, lesionado, foi substituído pelo zagueiro Beto, quando o time alviverde passou a administrar o resultado.

O jogo, porém, seguiu o mesmo. Era ataque contra defesa, com esta sempre a levar a melhor. Além disso, já aos 27’, o Coruripe quase chegou ao terceiro gol, em novo contra-ataque. Tito foi lançado livre de marcação pela esquerda e chutou rasteiro da entrada da área, vendo a bola passar perto do poste direito de Jeferson.

No final, já sem pernas, o CSA ainda chegou, na base da vontade, em três oportunidades. Em duas delas, com chutes de fora da área de Rafael Granja. Já na última tentativa, aos 46 minutos, o volante Elyeser aproveitou cruzamento da direita e, de peixinho, mandou no canto direito do goleiro alviverde, que fez importante defesa.

Como já não havia mais tempo, o árbitro Heber Roberto Lopes encerrou a disputa aos 48 minutos, confirmando a vitória alviverde, para a tristeza da torcida azulina.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Invicto, ASA vence CSA por 1x0, confirma liderança e avança com vantagem

Alvinegro faz o bastante para vencer no Trapichão e vai encarar CRB, com 1º jogo no Rei Pelé; Azulão terá Coruripe pela frente, e CEO está rebaixado

Bruno Soriano
O ASA segue imbatível no Campeonato Alagoano. Invicto na competição, o time de Arapiraca venceu mais uma, na noite dessa quarta-feira (22), quando voltou a campo para encarar o CSA, no Rei Pelé, onde o Alvinegro venceu por 1x0, com gol de Alex Henrique, aos 40 minutos do primeiro tempo, diante de adversário que, nitidamente, sentiu a falta de entrosamento - devido à classificação antecipada, o técnico Nedo Xavier, ao contrário de Vica, decidiu poupar os titulares.


Com o resultado da partida que teve renda de R$ 29.678,00, para 2.248 torcedores presentes, o ASA avança às semifinais com líder no grupo B, com 20 pontos, dois a mais que o CRB, que também venceu seu compromisso fora de casa, contra o Coruripe. Com isso, conforme o regulamento, o Fantasma terá o Galo pela frente, jogando com a vantagem de fazer a segunda partida da decisão no Municipal de Arapiraca.

Pelo CSA, a derrota não custou tão caro assim. Isso porque, mesmo com a derrota, o Azulão também garantiu a primeira colocação no grupo A, com 12 pontos, dois a mais que o Coruripe, derrotado em casa na última rodada da fase de classificação. Com isso, o time do Mutange vai encarar o próprio Coruripe nas semifinais e, assim como o ASA, fará o segundo jogo diante de seu torcedor, no Rei Pelé, podendo jogar por dois resultados iguais.

As datas dos confrontos, porém, ainda não foram confirmadas pela Federação Alagoana de Futebol (FAF). Porém, o duelo entre Coruripe e CSA deverá ser realizado no próximo sábado, no Gerson Amaral, já que o Hulk tem compromisso pela Copa do Brasil, na quarta-feira, contra o Atlético-GO, fora de casa. A outra semifinal, por sua vez, vai acontecer no dia seguinte, às 16h, no Rei Pelé.

Rebaixamento

E quanto ao rebaixamento, o segundo time a disputar a Segunda Divisão do Estadual em 2016 será o CEO - o primeiro rebaixado foi o Sport Atalaia, que desistiu da competição ainda no 1º turno. Isso porque o time sertanejo acabou derrota em casa pelo Murici, também nessa quarta, com gol do atacante Alexsandro nos minutos finais.

Com o resultado, o Murici, que também lutava contra a degola, foi a sete pontos, um a menos que o CEO. Porém, o regulamento estabelece que o rebaixado deve ser o time com pior aproveitamento na competição, no caso, o representante de Olho d'Água das Flores, que teve 26,7% de aproveitamento, contra 29,2% do alviverde de Murici.

Fechando a rodada decisiva, o Ipanema fez o dever de casa e, no Estádio Senador Arnon de Mello, em Santana do Ipanema, bateu o Santa Rita - que nada aspirava - por 1x0, com gol de Queiros no início do 2º tempo, chegando a nove pontos, na terceira posição do grupo A, alcançando 30% de aproveitamento e escapando da degola no soar do gongo.



Jogo morno

Com o time reserva – o único jogador considerado titular era o zagueiro Samuel –, o CSA não conseguiu esconder a falta de entrosamento logo nos primeiros minutos da partida que teve público muito aquém do esperado, apesar de o Azulão já estar garantido nas semifinais. E a equipe comandada por Nedo Xavier acabou pagando um preço alto a partir dos 25 minutos, quando o ASA começou a dominar as ações.

A primeira chance real de gol, no entanto, saiu apenas aos 26 minutos. Em boa troca de passes, o meia Didira rolou para Alex Henrique, que chutou de primeira, em lance na entrada da área. O goleiro azulino Remerson caiu no canto esquerdo e fez a defesa, sem direito a rebote.

O time do Mutange não conseguia sair jogando. Sem conseguir manter a posse da bola, não imprimia velocidade suficiente para encontrar espaço à conclusão, enquanto o jogo pelas laterais praticamente inexistia. Já o ASA explorava muito bem o contragolpe, e foi em um contra-ataque que o time de Arapiraca abriu o marcador já aos 40 minutos.

Didira recebeu pela esquerda e, de calcanhar, acionou Alex Henrique. O ex-atacante azulino dominou de costas para o gol, fez o giro em cima do marcador e chutou rasteiro, com categoria, na saída de Remerson. A bola passou por entre as pernas do goleiro: 1x0.

CSA melhora, mas não consegue o empate

No segundo tempo, Anderson Paraíba passou a se apresentar um pouco mais e o CSA cresceu. Com isso, o Azulão passou a dominar as ações, explorando a apatia do rival nos minutos finais e criando pelo menos cinco chances de igualar a disputa no Rei Pelé.

Nedo Xavier processou as três substituições a que tinha direito, com Danilinho saindo para a entrada de Romário, e Pilar substituindo o também atacante Diego Neves - além destes, o lateral Fabiano deu lugar ao atacante Damião. Já pelo ASA, o técnico Vica trocou o lateral Rayro pelo volante Glaydson, enquanto Valdívia saiu para a entrada do atacante Everton, e Uéderson substituiu Jean, também atacante.

O CSA, porém, pecou no quesito finalização e, apesar da pressão, acabou amargando a derrota diante de seu torcedor. Numa das chances desperdiçadas, já aos 44 minutos, Aidar recebeu pela direita e cruzou para Damião, mas o atacante não conseguiu completar para o gol vazio, em lance no segundo pau, vendo a zaga afastar em cima da linha.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Em jogo de vida ou morte, CRB encara o Coruripe fora de casa

Em jogo de vida ou morte, CRB encara o Coruripe fora de casaSó a vitória interessa ao Galo, que precisa dos três pontos para garantir classificação em Coruripe; Hulk pode avançar até se perder
Smack Neto (estagiário)*
O CRB se beneficiou dos resultados da última rodada no Alagoano e chega a última partida na fase de classificação dependendo apenas do seu resultado para chegar às semifinais da competição estadual. Entretanto, a missão não será fácil para o Galo, já que o último jogo da equipe é fora de casa, diante do algoz da final do Alagoano de 2014, o Coruripe. O último jogo disputado entre as duas equipes no Estádio Gérson Amaral foi justamente a primeira partida da grande final daquele ano, quando o Hulk bateu a equipe alvirrubra por 1x0 e abriu caminho para a conquista do Estadual.

O Galo não tem outra opção a não ser vencer para alcançar a classificação às semifinais. Com 15 pontos e atualmente na terceira colocação do grupo B, a equipe tem de vencer para superar o CSE, que soma 17 pontos e não joga mais na fase de classificação. Caso o CSA vença o ASA no Estádio Rei Pelé, a equipe alvirrubra pode ficar na primeira colocação do grupo B e levar a vantagem de decidir a classificação até a final jogando a segunda partida em casa.

Para o duelo com início às 22h, o CRB terá o retorno do zagueiro Gabriel, que cumpriu suspensão automática na última partida diante do CEO. Já o goleiro Júlio César e o lateral esquerdo Gleidson Sousa seguem em tratamento, enquanto o meia Morais, que retornou de lesão e entrou no segundo tempo do jogo contra o CEO ,deve continuar no banco de reservas como opção para o treinador Alexandre Barroso. Sendo assim, a equipe regatiana que vai começar a “final” diante do Coruripe tem Bruno (Júlio César); Paulo Sérgio, Daniel Marques, Gabriel e João Victor; Olívio, Johnnattan, Fernando e Clebinho; João Henrique e Zé Carlos.

Pelo mandante, o clima também é de decisão. A equipe vem de derrota para o Santa Rita, em Boca da Mata, por 3x1 e acabou não garantindo a classificação antecipada para as semifinais. O Hulk tem 10 pontos no grupo A e é o vice-líder da chave. A equipe precisa no mínimo de um empate, já que tem saldo de gols muito superior ao CEO (-4 contra -9) para garantir a vaga nas semifinais. Para ser primeiro do grupo, o Coruripe precisa vencer e torcer para que o ASA vença o CSA no Estádio Rei Pelé.

O treinador do Hulk, Lorival Santos, tem 3 desfalques para a decisão diante do CRB. O zagueiro Willames José, e os laterais George e Denilson. O time deve ir a campo no Gérson Amaral com a seguinte formação: Carlos; Tony, Jair, Igor e Thiago Papel; Léo Maceió, Mazinho, Luiz Mário e João Paulo; Ivan e Casagrande.

A arbitragem do duelo entre Coruripe e CRB fica sob a responsabilidade de Charles Hebert Cavalcante Ferreira (CBF/AL). Ele vai ser auxiliado por Pedro Jorge Santos (CBF/AL) e Esdras Mariano de Lima (CBF/AL). José Ailton da Silva (FAF) ficará como quarto árbitro. A partida acontece no Estádio Gérson Amaral, às 22h, com transmissão em tempo real da Gazetaweb.

CEO x Murici e Ipanema x Santa Rita 

As outras duas partidas do Alagoano na noite desta quarta-feira acontecem no interior e serão decisivas para a definição do segundo time rebaixado - o primeiro foi o Sport Atalaia, que desistiu da competição. Em Olho D'água das Flores, no Estádio Edson Matias, o CEO, com chance de classificação no grupo A, recebe o desesperado Murici, que precisa da vitória para seguir na elite do futebol estadual.

O CEO tem 8 pontos, ocupando a terceira colocação do grupo A, e precisa vencer e torcer para que o CRB derrote o Coruripe para conseguir a classificação às semifinais. O time sertanejo, porém, também pode ser rebaixado, apesar de a possibilidade ser muito remota.

Já o Murici tem de vencer e torcer para que o Ipanema, o outro ameaçado, não vença o Santa Rita, que cumpre tabela.

E jogando em Santana, a equipe do Ipanema recebe o Santa Rita para tentar a vitória que vai garanti-lo na primeira divisão do Alagoano. Caso empate ou perca no Estádio Arnon de Mello, o Canarinho do Sertão terá de torcer para que o Murici não vença o CEO.

Ambas as partidas terão início às 22h.

*Sob a supervisão da editoria

quinta-feira, 16 de abril de 2015

CSA vence Santa Rita e se isola na liderança do grupo A

Azulão domina primeiro tempo, marca com Zé Paulo e garante importante resultado no Rei Pelé com o placar mínimo: 1x0

Bruno Soriano
O CSA fez o dever de casa na noite desta quarta-feira (15), em partida válida pela oitava rodada do Campeonato Alagoano, já em seu segundo turno. No Rei Pelé, o time do Mutange, que dominou por completo as ações no primeiro tempo, bateu o Santa Rita por 1x0, com gol do atacante Zé Paulo, aos 10 minutos de jogo, e se isola na liderança do grupo A. Agora, o Azulão soma 11 pontos, três a mais que o CEO, derrotado em casa pelo CSE, o novo líder do grupo B.



Já o Leão da Mata – que até pressionou no tempo final, criando boa chance de chegar ao empate mesmo quando passou a atuar com um homem a menos – segue com 10 pontos, quatro a menos que o ASA, primeiro time a figurar na zona de classificação do grupo B.
O time do técnico Nedo Xavier, agora, já se prepara para encarar o CSE, na tarde do próximo domingo, no Estádio Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios.

Para o duelo, o treinador azulino ainda não sabe se poderá contar com os meio-campistas Marcos Antônio e Rafael Granja, que deixaram o campo de jogo, no segundo tempo, sentindo lesão. Em compensação, terá o retorno do zagueiro Breno, que cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

Já o Santa vai tentar a reabilitação diante do Coruripe, também no domingo, no Olival Elias, em Boca da Mata.

Antes, porém, dois jogos vão complementar a oitava rodada do Estadual. Às 16h, o CRB vai enfrentar o Ipanema, lanterna no grupo A, no Sertão alagoano, enquanto o Coruripe vai receber o lanterna do outro grupo, o Murici, no Gerson Amaral, às 20h30.

O duelo no Trapichão teve renda de R$ 50.647,00, com 3.511 torcedores presentes.



O jogo 

O CSA entrou em campo modificado. Com o retorno do volante Elyeser, que cumpriu suspensão, o meia Anderson Paraíba ficou como opção no banco de reservas, e o time do Mutange começou a partida com Marcos Antônio no meio, ao lado de Rafael Granja. Já na defesa, Samuel fez dupla com Romário, já que Breno recebeu o terceiro amarelo na vitória sobre o Murici.

Marcando em cima, o Azulão conseguiu imprimir seu ritmo, explorando as laterais e criando a primeira boa chance logo aos nove minutos, quando Granja recebeu pela esquerda e arriscou o chute de longe, vendo a bola explodir no poste esquerdo do goleiro Cris.

Na sequência, a bola sobrou para Zé Paulo. O atacante ajeitou a redonda de calcanhar e chutou encobrindo o goleiro do Leão, assinalando um golaço no Rei Pelé, para delírio da torcida azulina, que compareceu em público apenas regular: 1x0.

Pouco depois, aos 14’, o mesmo Zé Paulo chegou pela direita e errou o último passe, mas a bola sobrou para Granja, que chutou rasteiro da entrada da área, vendo a bola passar perto do poste direito do goleiro Cris.

O CSA dominava as ações e voltou a criar aos 22 minutos, quando Granja fez grande jogada pela esquerda e lançou Reinaldo. O atacante chutou na saída do goleiro, que defendeu com o pé. No rebote, Zé Paulo tentou de voleio, mas mandou para fora, de frente para o gol.

O Santa Rita, que não conseguia sair jogando, chegou com perigo somente aos 37 minutos, em chute de fora da área do meia Gabriel, que viu a bola passar à esquerda do goleiro Jeferson.

E antes de Charles Hebert encerrar a primeira etapa, o time da casa quase ampliou a vantagem já aos 41’. Na falha em saída de bola do Leão da Mata, Paulinho acionou Elyeser, que, livre de marcação, chutou rasteiro, mas fraco, no canto esquerdo do goleiro, que defendeu sem rebote.



Já no segundo tempo, o CSA manteve o ritmo, mas continuou a pecar no quesito finalização. E ao sentir que o time da casa dava mole para o azar, Nedo processou todas as mudanças a que tinha direito, sendo que duas delas por motivo de contusão, com Marcos Antônio dando lugar ao zagueiro Marco Tiago, e Rafael Granja saindo para a entrada de outro meia, Anderson Paraíba – além destes, Rafael Aidar entrou na vaga do também atacante Zé Paulo.

O Azulão tentava, mas não conseguia ampliar o marcador. Numa das chances, aos 28 minutos, Elyeser deixou Aidar na cara do gol, mas o atacante, nas costas da zaga, chutou para fora, à esquerda do goleiro Cris.

E o vacilo quase resultou numa máxima do futebol: a de que ‘quem não faz, leva’. Isso porque, mesmo depois de o meia Gabriel ser expulso, aos 31 minutos, o Santa por pouco não chegou ao empate aos 37’, quando o atacante Jonatha recebeu grande passe pela direita, em rápido contragolpe, e chutou rasteiro, livre de marcação, mas Marco Tiago se agigantou para fazer o corte com um carrinho na pequena área, no último lance de efeito da partida.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Daniel Cruz marca três gols e pede música no Fantástico

Artilheiro do Santa Rita marcou 3 dos 4 gols na goleada de 4x1 sobre o CEO e acabou pedindo uma música Gospel no programa dominical
Smack Neto
A rodada deste domingo no futebol alagoano foi repleta de emoções e de gols. Além das vitórias do CSA e do CSE, outro time que se deu bem foi o Santa Rita, que bateu a equipe do CEO por 4x1 no Estádio Elidas de Moraes em Boca da Mata. A equipe agora tem 10 pontos e ocupa a terceira colocação do grupo B do segundo turno do Campeonato Alagoano.

Mas o destaque da tarde foi o artilheiro do Alagoano com 9 gols em 11 partidas pela competição. O centroavante Daniel Cruz foi as redes por três oportunidades e acabou chamando a atenção do programa dominical da Rede Globo “Fantástico”. Num dos quadros do programa, sempre que um jogador consegue marcar três gols numa mesma partida, ele tem direito de pedir uma música de fundo para a exibição dos seus gols.

O jogador concedeu entrevista ao final da partida para a TV Gazeta e acabou escolhendo a música “Raridade” de Anderson Freire, cantor e produtor de música Gospel que tem grande sucesso.

Além dos 3 gols, o camisa 9 do Leão ainda deu uma assistência para o gol de Rafael Silva que completou a goleada de 4x1. Daniel Cruz é um dos destaques da competição e já tem um próximo alvo na sua mira. O Santa Rita volta a campo na próxima quarta-feira (15), quando enfrenta o CSA no Estádio Rei Pelé, a partir das 22hs.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Fora de casa, CEO vence o Murici e assume a liderança do Grupo A do Alagoano

Wellynthon Martins - Rádio Difusora
Wellynthon Martins – Rádio Difusora
Em menos de 24 horas o Murici trocou de treinador, confirmou novos jogadores, mas toda essa movimentação parece não ter feito bem ao time campeão alagoano em 2010. Na noite desta quarta-feira (01), o CEO aproveitou a boa fase e o mau momento do rival em venceu por 1 a 0 em pleno estádio José Gomes da Costa, assumindo assim a liderança do Grupo A do Campeonato Alagoano.
O duelo deste meio de semana foi o único da competição estadual, que volta no próximo domingo de páscoa. Na próxima rodada o Murici joga novamente em casa, dessa vez diante do Ipanema, enquanto o CEO vai até Arapiraca enfrentar o ASA.
Com o resultado, o CEO chegou aos 7 pontos e passa o CSA, que tem 5, na liderança do Grupo A da competição e pode manter o posto no final de semana. O Murici por sua vez, segue amargando a última posição do Grupo B e corre sérios riscos de rebaixamento.
O JOGO
Com a bola rolando, o jogo era morno, mas na primeira investida o Murici teve a chance clara de abrir o placar. Everlan foi derrubado na área por Humberto e o árbitro marcou a penalidade. O próprio meia alviverde foi para a cobrança e mandou na trave, confirmando a má fase do time da casa.
Já no banco de reservas, o novo técnico do Murici, Eduardo Neto, ex-Corinthians Alagoano e Santa Rita, tentava mas não conseguia organizar o time alviverde em campo, para ira da pequena torcida presente no estádio José Gomes da Costa.
A situação ficaria pior no segundo tempo, quando o CEO resolveu buscar mais o ataque, o que não fez no primeiro tempo. E justamente em uma jogada sem tanto perigo, os visitantes abriram o placar. Aos 15 minutos, Alisson de fora da área arriscou e o goleiro Léo, que tanto salvou, hoje falhou. Placar de 1 a 0 que garantiu a vitória da equipe sertaneja, jogando na zona da mata.


http://www.minutoesportes.com.br/