Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de março de 2015

No sufoco, CSA vence Murici e assume liderança do grupo A

Azulão pressiona do início ao fim, mas só consegue marcar aos 46 minutos do segundo tempo, com gol de Elyeser, e é favorecido por resultados da rodada
Bruno Soriano
Foi difícil. O CSA tentou do início ao fim. Dominou as ações da partida deste domingo, no Rei Pelé, diante de um público diminuto, em razão da campanha irregular no Estadual. Porém, mereceu a vitória frente ao Murici, quebrando um jejum de cinco jogos sem vencer na competição, e com gol do volante Elyeser – um dos mais criticados do atual elenco – aos 46 minutos da etapa final, para alívio do torcedor azulino.



E se voltou a apresentar os mesmos erros de finalização, com o Murici quase abrindo o placar ainda no primeiro tempo, o time do Mutange caiu do inferno para o céu, ao menos em termos de classificação. Isso porque os resultados da quarta rodada favoreceram o CSA, que é o novo líder do grupo A, agora, com cinco pontos, um a mais que Coruripe e CEO – o primeiro perdeu em casa, e de goleada, para o ASA, enquanto o segundo não saiu do zero, em Olho d’Água das Flores, contra o Santa Rita.

O lanterna deste grupo ainda é o Ipanema, que ainda não pontuou e acabou surpreendido pelo CSE, no estádio Arnon de Mello, em Santana, onde o Tricolor de Palmeira dos Índios venceu o time sertanejo por 2x1.



Já o Murici - que se limitou a poucos contragolpes e fez apenas seu segundo jogo pelo Estadual - segue sem vencer, já que empatou na estreia, diante de seu torcedor. O time do técnico Lorival Santos ainda é o lanterna do grupo B, com um ponto, apesar de, assim como o CRB, ter um jogo a menos.

E por falar o CRB, eis o próximo adversário do CSA na competição. Agora, os comandados do técnico Nedo Xavier terão uma semana inteira para dois clássicos em sequência, o primeiro deles já no próximo domingo, enquanto o time de Murici vai tentar a reabilitação contra o Ipanema, no José Gomes da Costa.

O jogo no Rei Pelé teve público muito inferior à média do CSA no campeonato: 3.517 torcedores, com renda de R$ 38.721,00.



Nada de gol

O CSA entrou em campo com o mesmo time que iniciou a partida diante do Santa Rita, em Boca da Mata, onde o amargou sua primeira derrota neste segundo turno. Porém, a equipe comandada pelo técnico Nedo Xavier se apresentou com a postura que dele se esperava. Partiu para cima, concentrando suas tentativas pela esquerda, no avanço do lateral Paulinho.

E a primeira grande chance saiu aos 11 minutos de jogo, quando o atacante Zé Paulo recebeu livre de marcação e cruzou para Reinaldo. Porém, o companheiro de ataque se enrolou na conclusão, em lance na pequena área, onde a bola sobrou para o goleiro Léo Maceió.

Quatro minutos depois, o meia Anderson Paraíba recebeu pela esquerda, fintou o marcador e chutou rasteiro, na saída do goleiro, mas Léo fez grande defesa com os pés. Na sequência, o próprio Paraíba acionou Elyeser, que chutou da entrada da área, mas para fora, à direita do goleiro.



E só dava CSA. Aos 23’, o lateral Paulinho tabelou com Paraíba e cruzou para Reinaldo, que cabeceou de peixinho, em novo lance na pequena área, mas Léo voltou a salvar o Murici, fazendo importante defesa no canto esquerdo.

O Murici, por sua vez, não criava o bastante. O time do técnico Lorival Santos – que promoveu a estreia do lateral Mineiro (ex-CSA) – se limitava à velocidade do contragolpe. Porém, após perigoso cabeceio de Rambo, com a bola a passar rente ao travessão, o time de Murici quase abriu o marcador aos 40 minutos, quando Katê recebe livre pela direita e chutou rasteiro, no canto direito de Jeferson, que espalmou para escanteio, em defesa espetacular.

E antes do árbitro Dênis Ribeiro Serafim encerrar a primeira etapa, o CSA ainda teve mais uma chance com Rafael Granja, que dominou bola da esquerda e soltou uma bomba, vendo a bola passar perto do poste esquerdo do goleiro Léo.

Vitória no soar do gongo

Para o segundo tempo, Nedo foi obrigado a mexer, trocando o zagueiro Samuel, lesionado, pelo volante Romário, que jogou na defesa. Já a outra mudança foi por opção técnica, com Zé Paulo saindo para a entrada do também atacante Damião.

O jogo seguiu o mesmo, com o CSA em cima. Logo na primeira chance, aos sete minutos, Anderson Paraíba pegou a sobra pela direita, após Léo Maceió dar rebote nos pés de Damião, e cruzou para Granja, que não conseguiu concluir de cabeça, mesmo com a barra sem goleiro.

Já aos 22’, foi a vez de Damião receber pela direita. Ele fez o giro e encontrou Elyeser no outro lado. O volante dominou puxando a marcação e chutou rasteiro. O goleiro defendeu com os pés e, na sequência, o zagueiro Odair Lucas quase fez gol contra ao afastar o perigo.

Aos 30 minutos, foi a vez de Márcio Lima, também sentindo lesão, dar lugar a outro lateral. Nêgo entrou e o CSA continuou dono do jogo diante de adversário sem qualquer poder de reação. Porém, o tempo passava, o que só fazia crescer a apreensão do torcedor azulino, que ainda vou, já aos 40’, Reinaldo desperdiçar mais uma chance, depois de fintar o goleiro e chutar para fora.

E quando muita gente já deixava o Trapichão, certo de novo tropeço do time da casa, eis que o CSA acabou premiado pela insistência em chute de Elyeser. O volante dominou bola pelo centro e chutou forte, prensado. A bola ganhou efeito e encobriu o goleiro Léo, acertando a trave antes de entrar.

Emocionado, o jogador se ajoelhou no gramado do Trapichão, agradecendo a Deus pelo feito que garantiu a vitória azulino nos acréscimos.

domingo, 22 de março de 2015

CSA tem a volta de 3 atletas e uma estreia contra CSE

Foto: AILTON CRUZ
Atacante Reinaldo Alagoano cumpriu suspensão pelo terceiro cartão e volta ao time do CSA no duelo com o CSE, neste domingo
Foto: AILTON CRUZ
Por: FERNANDA MEDEIROS - EDITORA DE ESPORTES
Depois do empate sem gols, na última quinta-feira, com o ASA, pela 1ª rodada do 2º Turno do Alagoano (Copa Maceió), o CSA volta a campo, neste domingo, mas jogando em casa, no Estádio Rei Pelé, onde receberá o CSE. A partida válida pela 2ª rodada está marcada para as 16 horas.

No 1º turno (Copa Alagoas) as duas equipes se enfrentaram e o CSA venceu pelo placar de 1 a 0, no Estádio Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios. A partida foi realizada no dia 4 de fevereiro, pela terceira rodada da competição.

Para o confronto da tarde, a diretoria do CSA vai montar um esquema de segurança especial, a fim de fiscalizar quem entra de graça no estádio. Para isso, haverá seguranças contratados distribuídos em todas as entradas do Rei Pelé. O objetivo é coibir a evasão de renda.

AZULÃO

Para este duelo, o técnico Nedo Xavier terá as voltas do volante Elyeser, do meia Rafael Granja e do atacante Reinaldo Alagoano, que cumpriram suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Além deles, outro que fica à disposição do treinador e poderá estrear neste domingo é o meia Anderson Paraíba, cuja regularização chegou desde a quinta-feira, quando teve seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Mas Paraíba deverá ficar no banco de reservas, sendo utilizado no decorrer da partida. 

O treinador ainda não definiu a escalação. Isso porque o zagueiro William Thuram deixou o campo no jogo de quinta-feira sentindo o joelho e ainda é dúvida. E o seu substituto, Marco Tiago, foi expulso na mesma partida e vai cumprir suspensão automática.


http://gazetaweb.globo.com/gazetadealagoas/noticia.php?c=263013

segunda-feira, 9 de março de 2015

CSA vence o CEO e vai à final do primeiro turno do Alagoano

Azulão encara o ASA no grande clássico valendo a Copa Alagoas
Smack Neto*
O CSA precisava da vitória para se classificar até a final do primeiro turno do Alagoano. Atravessando uma má fase, sem vencer há 4 jogos, o CSA precisava do apoio da torcida para conquistar a classificação. A atmosfera no Rei Pelé foi de decisão, e fez com que o CSA superasse todas as dificuldades como a troca de treinador e as diversas modificações na equipe titular.

O jogo deste domingo foi disputado, corrido e brigado. Apesar de um primeiro tempo morno, a torcida não vaiou a equipe. No segundo tempo, os gol de Breno e Reinaldo Alagoano fizeram a festa do torcedor azulino que foi até o Rei Pelé. Com o 2x0, o CSA voltou a vencer e conquistou a vaga na final do primeiro turno do Alagoano, onde encara o ASA de Arapiraca.

O jogo 

Só a vitória interessava para a equipe azulina chegar até a final do primeiro turno. Em um Rei Pelé com bom público, o Azulão estava com o ambiente todo a seu favor para conseguir a vitória que tanto necessitava. Mas no primeiro lance da partida, foi o CEO que buscou o ataque, tentando mostrar que a partida não seria fácil.

O CSA começou o jogo nervoso, com muitos erros bobos, principalmente na saída de bola e no último passe para criação de situações de gol. Em uma delas aos 6 minutos, Thuram vacilou e perdeu a bola para Etinho. O meia-atacante do CEO chutou nas mãos do goleiro Jeferson. O CSA parecia nervoso com a obrigação da vitória e não conseguia furar o bloqueio montado por Lino, treinador do CEO.

A equipe azulina ficava mais com a bola, mas não conseguia criar. Cruzamentos errados, passes muito forçados e chutes bloqueados foram a tônica da primeira meia hora da equipe maruja. O CEO tentava contra-atacar quando dava, mas priorizava o sistema defensivo. Mas aos 33 minutos, houve a grande polêmica do primeiro tempo: Após cruzamento na área, Reinaldo Alagoano cabeceou a bola que foi bloqueada pela defesa do CEO. No bate rebate, a bola bateu na mão do zagueiro Clerisson. O juiz assinalou o pênalti, mas o assistente havia assinalado o impedimento anteriormente. Muita reclamação da equipe do CSA.

A partir daí, o CSA melhorou e tentou buscar o gol. Aos 39, o CSA teve outra boa chance: Após cruzamento na área, a bola fica pererecando, Reinaldo Alagoano tentou, mas a bola sobrou para Zé Paulo que empurrou pro gol, mas estava em posição de impedimento. Nova frustração da torcida azulina. O primeiro tempo terminou e o CSA só tinha mais 45 minutos para conseguir o gol da vitória.

Na volta do intervalo, o CSA voltou com tudo e foi agraciado com o gol: Logo no primeiro minuto, Élvis bate escanteio na área para o zagueiro Breno, que sobe mais que todo mundo e testa a bola para o fundo do gol. Explosão da nação azulina no Rei Pelé. O CSA finalmente marcava um gol depois de 3 jogos, e agora retomava a vantagem para a classificação para a final do primeiro turno do Alagoano.



O CEO modificou a equipe por duas vezes, promovendo a entrada de Neto Bala e Tarcísio, buscando chegar mais ao taque. Por alguns minutos, a equipe ameaçou uma pressão na partida, com o CSA recuando bastante. Entretanto, o time não conseguiu criar grandes chances. Enquanto isso, o CSA tinha calma e deixava o tempo passar.

Aos 34, as coisas se complicaram para o CEO: após um pontapé desleal, Jacobina recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Com o tempo passando, o CSA foi começando a encaixar os contra-ataques e o CEO não conseguia pressionar. O treinador Nedo Xavier modificou o azulão dando um novo gás com as entradas de Rafael Granja no lugar de Élvis e Damião no lugar de Zé Paulo. As alterações surtiram efeito e a equipe do CSA ganhou mais gás para puxar os contra-ataques.



E foi num contra-ataque que a equipe do CSA conseguiu definir a partida: Aos 37 Após boa jogada de Damião, Rafael Granja encontrou Reinaldo Alagoano sozinho na área. O centroavante azulino, que ainda não havia marcado no Alagoano, chutou a bola sem chances para o goleiro Humberto. Era o 2x0 da tranquilidade para a equipe do Mutange.

A partir daí, o CSA só trabalhou a bola e conseguiu manter a vantagem diante de um CEO que já não tinha mais fortes para reagir. Festa no Rei Pelé, o CSA está na final do Primeiro Turno do Campeonato Alagoano. Agora o desafio é diante do ASA, com dois jogos decisivos para saber quem será o campeão da Copa Alagoas. A primeira partida acontece na próxima quarta-feira (11), às 22:00hs, no Estádio Rei Pelé. Nas partidas finais, não existe vantagem para ninguém: caso haja empate em pontos e no saldo, as equipes irão para os pênaltis para decidirem o título.

sábado, 7 de março de 2015

CSA: Márcio Lima está regularizado e deve enfrentar o CEO

Azulão deve, enfim, ter a volta de um lateral-direito de ofício no Alagoano 2015
Gazetaweb - texto de Francisco Cardoso
Atualizada às 17h48

O CSA pode, enfim, ter um lateral-direito de ofício no jogo deste domingo, quando decide com o CEO uma vaga na decisão da Copa Alagoas (1º turno do Campeonato Alagoano). É que o nome de Márcio Lima consta no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF desde a manhã desta sexta-feira. Procedente do São Paulo (RS), o atleta é o mais recente contratado pelo Azulão. Os outros foram o goleiro Remerson e o zagueiro Marco Tiago, também já em condição de jogo.

A lateral direita tem sido o principal problema do CSA até aqui nesta temporada. No fim do ano passado, o clube contratou Tiago Granja e Carlinhos - o primeiro deixou o clube alegando problemas pessoais, enquanto o segundo foi desligado por motivo de lesão. Após as baixas, a direção azulina contratou Nêgo, que também está machucado e, por isso, ainda não atuou uma partida inteira.

Márcio Lima chegou em Maceió na terça-feira e já assumiu a condição de titular. Inclusive, deve ser a principal atração da equipe na partida das 16h deste domingo, no Estádio Rei Pelé.

Sobre o time, duas formações foram vistas nos dois últimos dias de treinamento - uma com dois, e outra, com três volantes. A primeira tem Jefferson, Márcio Lima, Breno, Marco Tiago e Paulinho; Thiago Conceição, Elyeser, Elvis e Rafael Granja; Zé Paulo e Reinaldo Alagoano. Já a segunda reúne Jefferson, Márcio Lima, Breno, Romário e Paulinho; Thiago Conceição, Elyeser, Sorim e Elvis; Zé Paulo e Reinaldo Alagoano.

O grito da dúvida e vendagem de ingressos

Se por um lado pode haver estreias (Márcio Lima e Marco Tiago), o CSA parece ter ganho um desfalque de última hora. É que, no treino com bola desta sexta-feira, no CT Gustavo Paiva, o volante Thiago Conceição sentiu o joelho esquerdo e já se encontra no departamento médico.

Ao dominar a bola, tendo o atacante Rony a marcá-lo, Thiago Conceição fez um giro para driblar e sair jogando, quando sentiu uma forte dor no joelho e caiu gritando alto. Imediatamente, foi retirado do treino e já se submete a tratamento.

Devido ao pouco tempo para a partida contra o CEO, o atleta tem poucas chances de, agora, voltar ao time principal. Pierre foi quem terminou o treino em seu lugar.

Thiago Conceição não enfrentou o CEO em Olho d'Água das Flores porque, contra o Ipanema, recebeu o terceiro cartão amarelo e teve que cumprir suspensão automática. O treino final é na manhã deste sábado, seguido do início do regime de concentração.

Para esta partida, em que uma simples vitória põe o CSA nas finais do 1º turno, os ingressos já estão sendo vendidos aos preços de R$ 15 (arquibancada baixa), R$ 20 (arquibancada alta) e R$ 50 (cadeiras especiais). Os bilhetes são encontrados no CT Gustavo Paiva (Mutange), Sport Center (Centro), Poly Sport (Shopping Maceió), Arena das Torcidas (antiga Avenida Amélia Rosa e Shopping Farol) e Litoraneus (Pátio Maceió).

Porém, a principal novidade é que, por ser a partida no dia que a homenageia, mulher vai ter acesso ao estádio de graça, desde que acompanhada.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Despedida de Léo Moura do Flamengo leva 30 mil torcedores ao Maracanã

Choro, homenagens, festa e passe para gol marcam despedida
Gazetaweb, com agências
Foram 10 anos, 519 jogos, 47 gols e oito títulos conquistados. A história de Léo Moura no Flamengo se encerrou na noite desta quarta-feira. Agora, o lateral escreverá novas páginas, desta vez nos Estados Unidos, onde jogará pelo Fort Lauderdale Strikers. No Maracanã, na noite desta quarta, o Flamengo realizou o seu jogo de despedida - vitória por 2 a 0 sobre o Nacional-URU. Foram mais de 30 mil os torcedores presentes, que lhe levaram cartazes e gritaram palavras de apoio durante todo o jogo. Houve homenagem ainda antes, durante e depois da partida. Até Zico participou da festa. Léo não segurou o choro. Por mais de uma vez, foi às lágrimas. Dez anos não são para qualquer um.

Não foi preciso nem entrar em campo para a emoção começar a tomar conta de Léo Moura. Desde a concentração do Flamengo até o Maracanã, o lateral esteve chorando. Ao desembarcar do ônibus do clube, na chegada ao estádio, o atleta ainda tinha muitas lágrimas nos olhos. Abraçou a filha, que o aguardava, e seguiu para o vestiário com os companheiros.

Na entrada do Flamengo em campo, cerca de 20 minutos antes do começo da partida, Léo Moura tomou a dianteira e foi ao centro do gramado para receber homenagens e agradecer a torcida pelo carinho. Chorando e de mãos dadas com as duas filhas, Léo recebeu um quadro e uma placa comemorativa das mãos de Zico, completado por um afetuoso abraço. "Emociona por tudo o que ele fez pelo Flamengo", disse Zico.

"Valéo", "Não vi Leandro, mas vi Léo Moura", "Léo Moura, te amo!", "Obrigado, Léo Moura"... foram algumas das frases que podiam ser vistas pelas cadeiras do Maracanã. Muitos torcedores levaram cartazes e faixas em homenagem ao lateral. Houve também quem optasse pelos adereços para homenageá-lo, como perucas em formato de moicano. O que não faltou foi criatividade para a torcida do Flamengo reverenciar seu, agora, ex-jogador.

Não poderia ser diferente. Em partida comemorativa, o gol deve ter participação do homenageado. Assim o foi. Léo Moura não balançou a rede, é verdade. Mas deu o passe para o gol de Eduardo da Silva, o primeiro da vitória por 2 a 0 do Flamengo sobre o Nacional-URU - o segundo foi marcado no segundo tempo por Matheus Sávio., quando Léo já havia deixado o gramado.

Aos 9 minutos do segundo tempo, Léo Moura foi substituído para a entrada de Pará. O jogo foi interrompido para que o lateral fosse ovacionado pela torcida. Chorando, deixou o gramado e repassou a braçadeira de capitão para Wallace. Pará, que ocupará sua posição, recebeu seu abraço. Das arquibancadas, a torcida gritava "Léo Moura eterno" e "Fica, capitão".

Com uma bandeira do Flamengo às costas, Léo Moura fez volta olímpica no Maracanã para agradecer a todos os 30 mil torcedores que compareceram para homenageá-lo. Foram muitas palmas, muitos acenos, muitas reverências e até coraçãozinho com as mãos.

Muito emocionado e chorando, Léo Moura deixou o gramado do Maracanã. Sem conseguir expressar seus sentimentos em palavras, falou pouco. No pouco que pode externar, afirmou não ter esperado carinho tão grande na data e que considera muito emocionante sua passagem de dez anos pelo clube.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Nedo Xavier é o novo treinador do CSA

Antes de comandar primeiro trabalho, técnico se reúne com diretoria: em pauta, mais contratações
Gazetaweb - texto de Francisco Cardoso
Atualizada às 17h59

Nedo Xavier, que passou pelo futebol alagoano em 2012 - quando dirigiu o ASA no Campeonato Brasileiro da Série B -, é o substituto de Ronaldo Bagé no CSA. Seu nome foi confirmado na tarde desta terça após especulações desde a saída de Bagé, na noite da última segunda-feira.

De acordo com Pedrinho Tenório, que falou ao microfone do Timaço da Gazeta, a diretoria confirmou o nome de Nedo após a reunião realizada ontem (02) à noite, quando formalizou o convite ao técnico que havia saído do Fortaleza. Apenas na tarde de hoje, o treinador deu o sinal verde para o acerto com o Azulão do Mutange.

Xavier é esperado na noite desta quarta e, na quinta-feira, vai comandar o primeiro treino do Azulão visando à partida de domingo contra o CEO. O próprio Nedo já estará no banco de reservas neste próximo compromisso, em que o CSA vai tentar dar o troco da derrota sofrida em Olho d'Água das Flores. Afinal, só a vitória interessa para que o time do Mutange chegue à final do 1º turno do Campeonato Alagoano.

Aos 62 anos, Nedo Xavier estava no Fortaleza até o último fim de semana, quando, no sábado passado, sua equipe perdeu o clássico para o Ceará. Quando saiu do ASA, trabalhou no Itumbiara-GO e Boa Esporte-MG, em 2013. No passado, comandou o São Caetano-SP e, novamente, o Boa Esporte-MG.

O novo treinador do CSA também falou à Rádio Gazeta sobre a sua chegada ao Azulão:

- É um desafio. Nós treinadores vivemos de desafio. Fui consultado pela primeira vez e, por coincidência, tive outras situações, mas já estava apalavrado com o CSA. Vou tentar ser o melhor Nedo possível e fazer de tudo para que o torcedor do CSA, que é um torcedor exigente, fique feliz com o trabalho. Eu tinha outras propostas, mas já havia dado minha palavra. Eu conversei muito com a diretoria do CSA e, depois de ter apalavrado a minha ida, apareceram mais duas propostas. Ainda assim, escolhi o projeto do CSA.

Sobre reforços, o treinador disse desejar a contratação de pelo menos mais um meia e um zagueiro:

- Não temos ainda nenhum nome para confirmar. Eu devo chegar amanhã à tarde em Maceió, onde verei com a diretoria alguns nomes que podem ser trazidos, de acordo com as possibilidades do clube. Mas temos de realizar contratações pontuais, jogadores que venham para resolver. Não podemos errar.

Por fim, Nedo Xavier deixou um recado para a nação azulina:

- Vou fazer o máximo possível para conseguir vitórias e títulos. Confesso que não sei perder. Vou conversar com diretoria e jogadores para que a gente consiga fazer um CSA competitivo, forte e vencedor.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

CBF acerta com novo coordenador da base e muda comissões técnicas

Erasmo Damiani assume lugar que era de Alexandre Gallo, que continua como treinador da sub-20 e sub-23. Ex-jogadores Caçapa e Axel são demitidos

GloboEsporte.com
Erasmo Damiani será o coordenador de base da CBF. O profissional, que estava no Palmeiras desde 2013, substitui Alexandre Gallo, que continuará como técnico das seleções sub-20 e sub-23, mas sem sua comissão técnica.

Nas mudanças promovidas pela CBF, foram demitidos nomes como Maurício Copertino, auxiliar-técnico, e Eliott Paes, preparador físico, além de toda a comissão técnica da Seleção sub-15, incluindo os ex-jogadores Cláudio Caçapa (treinador) e Axel (auxiliar).

Damiani, de 49 anos, nasceu em Seara, interior de Santa Catarina. Ele é formado e tem mestrado em Educação Física. Ex-corredor de atletismo, começou a carreira de preparador físico no América-RJ e passou por diversos clubes catarinenses. Em 2004, assumiu os juniores do Figueirense, onde ficou até 2010. Nesse período, o Figueira revelou e vendeu jogadores como Lucas, atualmente no Palmeiras, Filipe Luís, André Santos, Felipe Santana (zagueiro atualmente do Schalke 04), Rafael Coelho (atacante, ex-Vasco, atualmente na China) e Roberto Firmino.

Ainda em 2010, após passagem pelos profissionais do Figueira, Damiani foi para o Atlético-PR, onde ficou até o final de 2011. Lá, ajudou a formar a geração que atualmente faz parte do time principal do Furacão, com nomes como o atacante Douglas Coutinho e o meia Marcos Guilherme. Saiu em 2012 após a eleição de Mário Celso Petráglia como presidente. Em 2013, assumiu a coordenação da base do Palmeiras, clube no qual estava até o momento.

Como principal título no currículo, Damiani tem a Copa São Paulo de Juniores de 2008 pelo Figueira. A CBF agora busca um técnico para a Seleção sub-15, após a saída de Cláudio Caçapa. A intenção da entidade é contratar alguém do mercado da base, que já trabalha com garotos há algum tempo e tenha um trabalho dentro da categoria, ao contrário de Caçapa e Axel, ex-jogadores que foram levados para a Seleção por terem um bom relacionamento com Gallo.