Total de visualizações de página

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Juiz relata ofensas de 'Sheik' a ele e à CBF após jogo

REPRODUÇÃO ESPN
Árbitro relatou na súmula ofensas de 'Sheik' (foto), que atacou também a CBF, e Julio Cesar
Árbitro relatou na súmula ofensas de 'Sheik' (foto), que atacou também a CBF, e Julio Cesar
O Botafogo pode pagar um preço alto no STJD pelos atos de indisciplina de seus jogadores na derrota de virada por 3 a 2 para o Bahia, na quarta-feira. Na súmula do jogo, o árbitro Igor Junio Benevenuto relatou as ofensas de Emerson 'Sheik' contra ele e à CBF e ainda as de Julio Cesar, expulso depois do apito final.
"... Cumpre informar que o referido atleta havia sido advertido anteriormente por reclamação ao proferir as seguintes palavras a mim: "apita essa p...!". Após ser expulso, o mesmo veio em minha direção e proferiu as seguintes palavras:"safado, sem vergonha, você é um merda, vagabundo, não apita nada! [SIC]", escreveu Benevenuto ao justificar o cartão vermelho ao atacante, aos 14 minutos do segundo tempo.
Ao sair de campo, 'Sheik' foi direto a uma câmera de TV posicionada na lateral e reclamou da CBF, algo que o árbitro da Federação Mineira também colocou no documento da partida.
"... Informo ainda que ao se retirar de campo, o mesmo foi em direção à câmera de tv e proferiu as seguintes palavras: "a cbf é uma vergonha, uma vergonha!", fato observado e relatado a mim pelo quarto árbitro da partida sr. raphael silvano ferreira silva que estava próximo ao referido atleta [SIC]."
Antes, quando tomara o amarelo por reclamação, 'Sheik' já havia se virado para a mesma câmera e dito a seguinte frase: "CBF, essa é pra você."
Já sobre Julio Ceesar, Benevenuto escreveu: "Ao término da partida, expulsei com cartão vermelho direto o atleta de número 26, sr. julio césar coelho de moraes por vir em minha direção batendo palmas e proferindo as seguintes palavras: 'você é uma vergonha, agora pode vestir a camisa do bahia, safado!'. Após ser expulso, o mesmo continuou proferindo as seguintes palavras: 'fiho da p..., safado, vagabundo, sem vergonha. você tem é que apitar a série c'."
O árbitro ainda justificou a expulsão do peruano Cachito Ramírez, único que, segundo a súmula, não o ofendeu. "Expulsei com cartão vermelho direto, aos onze minutos do segundo tempo o atleta de número 14, sr. luís alberto ramirez lucay da equipe do botafogo f. r. , por atingir com um tapa o rosto de seu adversário de número 8 , na disputa de bola."
O artigo 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) diz:
Ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto.
Pena: multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais) e suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de quinze a noventa dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código.
Com os relatos da súmula, a procuradoria do STJD pode oferecer denúncia, e o Botafogo, após julgamento, pode perder seus jogadores, no caso 'Sheik' e Julio Cesar, por várias partidas, um problema a mais na luta contra a degola.
Com a derrota no Maracanã, o time do técnico Vágner Mancini segue com 22 pontos, caiu para a 17ª posição e, consequentemente, entrou na zona de rebaixamento, ficando um ponto atrás do Bahia, primeiro fora.
Fonte: ESPN

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Indisciplina e lesões escalam defesa novata do Brasil contra Equador

Sem Maicon e David Luiz, Dunga deverá promover linha defensiva sem nenhum remanescente da Copa, algo que ele não queria agora
Globoesporte.com
Maicon, Thiago Silva, David Luiz e Filipe Luís. Essa era a linha defensiva que rondava os pensamentos de Dunga para seus primeiros jogos à frente da seleção brasileira. Assim, seriam três remanescentes da Copa do Mundo, algo que ele também priorizou em outros setores. Mas logo no segundo amistoso, diante do Equador, nesta terça-feira, imprevistos devem levar o técnico a escalar uma zaga totalmente modificada em relação aos convocados para o torneio do meio do ano: Danilo, Miranda, Marquinhos ou Gil, e Filipe Luís serão os prováveis titulares.

Dunga teve o primeiro problema antes mesmo de convocar, quando Thiago Silva lesionou a coxa direita e tornou-se nome inviável na lista. No último fim de semana, o treinador perdeu dois nomes de uma só vez depois da vitória por 1 a 0 sobre a Colômbia.

David Luiz machucou o joelho esquerdo e não terá condições de jogo, enquanto Maicon foi desligado da delegação por problemas internos, sobre os quais a CBF não deu detalhes. O caso de indisciplina tirou o mais velho entre os convocados. O lateral-direito tem 33 anos.

Com tantos empecilhos, Dunga vai escalar Danilo como titular na direita, e terá Fabinho, que estava com a seleção sub-21, no banco. Na zaga, Marquinhos e Gil lutam por uma vaga. Embora o atual jogador do Corinthians seja mais velho (27 anos contra 20), o ex-alvinegro tem a seu favor o fato de ter atuado no Roma e estar no PSG, dois grandes clubes da Europa. Quando David se lesionou contra a Colômbia, foi Marquinhos quem entrou.

Durante três anos, o jovem integrou diversas seleções de base, critério que tem sido valorizado pela CBF nos últimos tempos, principalmente depois que Alexandre Gallo assumiu a coordenação das categorias menores. Gil não tem esse trunfo no currículo. Mas, independentemente de começar jogando, é provável que o jogador corintiano tenha chances de estrear pelo Brasil, pelo menos por alguns minutos.

A única possibilidade de Dunga manter um nome da Copa do Mundo no setor defensivo é promover o retorno de Marcelo à lateral esquerda. O atleta do Real Madrid só está nos Estados Unidos porque foi convocado de última hora, em razão da lesão de Alex Sandro. Antes, sua posição era a única para a qual o técnico não havia chamado ninguém do Mundial, o que não indica lá muita disposição em ver Marcelo em campo.

No meio-campo, os quatro titulares do primeiro amistoso pós-Copa participaram da campanha que terminou com o quarto lugar: Luiz Gustavo, Ramires, Willian e Oscar. Na frente, o principal pilar foi mantido: Neymar, agora com a companhia de Diego Tardelli. Sem falar em Jefferson, goleiro que fez parte o grupo.

Sem Maicon e David Luiz, Dunga terá que antecipar um desafio que não imaginava ter de encarar agora: uma defesa só de recém-chegados, sem o auxílio dos experientes. Brasil e Equador se enfrentam nesta terça-feira em Nova Jérsei, às 22h (de Brasília), com transmissão da TV Globo, do Sportv e do GloboEsporte.com, que inicia a cobertura às 21h e também acompanhará tudo sobre o jogo em Tempo Real.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Técnico regatiano diz que Fortaleza valorizou resultado

Ademir Fonseca afirma que time jogou 'com coração no bico da chuteira', preferindo não fazer conta para a classificação: 'Temos de vencer todas'

Bruno Soriano
O técnico regatiano Ademir Fonseca falou à imprensa, na noite desse domingo, sobre a importante vitória do Galo sobre o Fortaleza, quebrando a invencibilidade do Leão, apesar de o time cearense seguir na liderança do grupo A da Série C. Com a vitória por 3x0, o Galo é vice-líder da chave. No entanto, o treinador prefere não fazer contas com vistas à classificação para a segunda fase, afirmando que o Tricolor valorizou a goleada no Rei Pelé, mesmo com o CRB tendo atuado com um homem a mais a partir dos 15 minutos do primeiro tempo, quando o goleiro André Zuba foi expulso.

"É um time [o Fortaleza] que não se aperta, que não dá chutão, mesmo com um homem a menos. Esse mesmo time já ganhou fora de casa, de virada, com um homem a menos. Não podíamos descuidar. Afinal, trata-se de uma equipe cuja melhor campanha é fora de casa", destacou Fonseca, acrescentando que o CRB não pode descuidar nesta reta final - restam apenas quatro jogos.

"Não vencemos qualquer um. Foi um passo muito importante na competição. Ainda faltam quatro rodadas e há equipes ainda brigando por vaga. Temos de manter a mesma pegada, utilizando a experiência que temos. Não podemos nos entusiasmar", reforçou o técnico regatiano. "Ninguém engana o torcedor. Hoje, eles jogaram com o coração no bico da chuteira. Contra o Botafogo, a bola queimou nos pés dos meus jogadores. Porém, hoje, o time não se atirou de qualquer maneira, matando o jogo com o golaço do Clebinho", emendou.

E para não depender de ninguém, Fonseca afirma que o CRB tem de vencer os quatro jogos restantes - contra Treze-PB (fora de casa), Águia-PA (em casa), Salgueiro-PE (fora) e Cuiabá-MT (casa). "O Fortaleza é um time que está com a confiança lá em cima e que se atira, apesar de saberem que seriam vencidos algum dia. Só não dá para fazer conta. É vencer os jogos que temos pela frente para se classificar sem depender de ninguém. Este é o nosso objetivo", avaliou o treinador, destacando o empenho de seus atletas.

"O responsável pela boa campanha são os jogadores. O nível da competição é muito parelho. Porém, nossa equipe está fechada. Quem fica no banco de reservas sabe respeitar a preferência do treinador. Os jogadores estão aceitando nossa ideia. Também não podemos achar que, agora, somos os melhores. Temos de manter o nível. Creio que nossa equipe está crescendo no momento certo da competição", analisou Ademir, que ainda explicou a opção pelo atacante Diego Clementino, explicando, ainda, o motivo pelo qual não tem relacionado o zagueiro Marcus Vinícius - que falhou no empate, em casa, contra o Salgueiro.

"Esperamos o momento certo para reinserir o Marcus Vinícius novamente, depois de ter sido muito exposto", resumiu o treinador. Já com relação a Clementino, Fonseca disse seguir confiando no potencial do atleta. "Conheço bastante o Diego. Às vezes, não se consegue dar o melhor. Por onde passou, ele foi taxado de talismã, caindo nas graças do torcedor. E ele é acostumado a disputar grandes jogos. Já esteve em grandes times, como Cruzeiro, Grêmio e Botafogo. Hoje, ele ajudou na marcação, fez uma partida regular e ainda saiu aplaudido pelo torcedor [foi substituído por Marcelo Macedo no segundo tempo]".

domingo, 7 de setembro de 2014

Com dois gols de David Braz, Santos vence no Pacaembu e afunda Vitória

Com bola aérea poderosa, Peixe mata Leão no segundo tempo da partida. Damião também deixa sua marca. Equipe baiana se complica na lanterna
GloboEsporte.com, por Adilson Barros
Após uma primeira etapa sonolenta, sem nenhuma inspiração, o Santos despertou mais disposto no segundo tempo, marcou três vezes, e venceu o Vitória, por 3 a 1, neste sábado à noite, no Pacaembu. Com o triunfo, o Peixe interrompe sequência de duas derrotas seguidas, vai a 26 pontos e está na nona posição do Campeonato Brasileiro (pelo menos até o início dos jogos desde domingo, pela 19ª rodada, a última do primeiro turno). Já o Leão segue seu calvário na competição. Acumulou a 10ª derrota e segue na lanterna, com apenas 15 pontos.

O destaque do jogo foi o zagueiro David Braz, que marcou os dois primeiros gols santistas em jogadas semelhantes: cobranças de escanteio de Lucas Lima, Dracena ajeitando, e Braz completando. Nunca, o defensor santista havia marcado dois gols em uma mesma partida. Damião completou para o Peixe, e Dinei fez para o Vitória. Um bom início para Enderson Moreira, que estreou no comando do Santos.

Os dois times voltam a campo na próxima quarta-feira, pelo início do returno. O Peixe encara o Sport, às 21h (horário de Brasília), na Arena Pernambuco. Às 22h, o Vitória recebe o Internacional, no Barradão.

O jogo

Um primeiro tempo duro de assistir. Os dois times, demonstrando problemas de relacionamento com a bola, protagonizaram um festival de chutões, passes errados, entradas duras. O Vitória teve mais a bola (65% da posse na etapa inicial), esteve bem posicionado e, em certos momentos, dominou a partida. No entanto, não foi efetivo no ataque. Já o Santos, sob nova direção, deixou de ser veloz. Embora estivesse jogando no contra-ataque, o Peixe amarrou as jogadas. Quando tentou ser rápido, apostou nas bolas esticadas sem direção. Ainda assim, o time da casa criou mais chances: em um chute de Thiago Ribeiro, que raspou a rede, em falta cobrada com perigo por Souza, e em cabeçada de David Braz.

O Santos acordou no segundo tempo e, aos 6 minutos, já vencia por 2 a 0. Os dois gols saíram em jogadas idênticas: escanteio cobrado por Lucas Lima, bola ajeitada por Dracena, e lance concluído por David Braz. O Peixe agora tinha tranquilidade para tocar a bola. Assim, girava o jogo, criava chances (Damião perdeu oportunidade clara chutando para fora com o gol aberto), mas deixava espaços atrás. E aí o Vitória se aproveitou, com Dinei, de cabeça, diminuindo o placar após jogada pela direita de Nino Paraíba, aos 19.

Esqueça a pasmaceira do primeiro tempo. O segundo foi bem mais movimentado. Ainda que seguissem apresentando problemas técnicos, os times agora tinham vontade, acertavam um pouco mais de passes e, assim, criavam chances. O Peixe ampliou com Damião, aos 30, mas o Vitória seguia perigoso nos contra-ataques às costas do lateral-esquerdo do Peixe, Zé Carlos. Cicinho salvou o Peixe rebatendo chute de Willie a centímetros da linha fatal.

Aos poucos, o Leão foi perdendo o seu ímpeto, permitindo que o Santos relaxasse mais um pouco, esperando o tempo passar até o apito final.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Na volta de Vica, ASA se reencontra com a vitória após longo jejum

Alvinegro vence o Treze por 3x0 e troca de posição com representante paraibano no grupo A da Série C 2014
Gazetaweb - texto de Francisco Cardoso
Enfim a vitória veio. Após um longo jejum, que começou no dia 1º de junho - portanto ainda antes da Copa do Mundo -, o ASA aplicou 3x0 no Treze, esta tarde, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, e avança duas posições na tabela ao pular de oitavo para sexto lugar no grupo A do Campeonato Brasileiro da Série C, com 12 pontos. Além disso, o alvinegro alagoano não apenas supera o Galo da Borborema como se afasta da zona do rebaixamento. Já o representante paraibano cai sexta para a oitava posição, com 10 pontos.

A partida marcou a estreia do treinador Vica – o terceiro do ASA neste Campeonato Brasileiro, que retorna ao clube após passagem vitoriosa em 2009 e que durou três anos. Os gols da partida foram assinalados por Thallyson e Alex Henrique, no 1º tempo, fechando o placar Wanderson no 2º tempo.

O ASA segue jogando em casa, quando no próximo domingo, às 19h, enfrenta o Paysandu. Na mesma data (24/8), o Treze vai receber a visita do Cuiabá, porém mais cedo: às 17h. A 11ª rodada vai ser encerrada às 21h30 desta segunda-feira, com a partida Paysandu x CRB em Castanhal (PA).

ASA começa vencendo em 1º tempo movimentado

Para os 3.170 torcedores que compareceram ao estádio, a partida começou com o ASA abrindo o placar, aos 5 minutos, através de cobrança de falta que o meia Didira rolou para o lateral-esquerda Thallyson soltar a bomba e vencer o goleiro Gilson.

Este lance serviu para dar moral ao time arapiraquense, que começou nervoso, pela cobrança de longo período sem vencer e errando na saída de bola.

O ASA ampliaria aos 35 minutos. Mas antes disso o Treze equilibrou as ações ao ponto de ter dois grandes momentos para empatar. Em um deles – o segundo -, o lateral-esquerdo Fernandes finalizou para defesa parcial do goleiro Pedro Henrique com os pés. Na sequência, atacante Bruno Aquino, que minutos antes já havia uma boa oportunidade, concluiu agora para firme defesa do arqueiro do ASA. E foi neste momento, em que o Treze crescia de produção, que o Fantasma de Alagoas ampliou com o atacante Alex Henrique, ao concluir passe do também atacante Wanderson. Antes do intervalo, Alex Henrique retribuiu passe, mas Wanderson, aos 45 minutos, não alcançou e a bola se perdeu pela linha de fundo.

2º tempo cai de produção e tem até lesão do árbitro central

O 2º tempo não foi movimentado como o 1º. Isso se deve a algumas paralisações em consequência de contusões, incluindo a do árbitro Antônio Rogério Batista do Prado, que apesar disso foi até o fim do jogo, dando sete minutos de acréscimos.

Visando a reação de sua equipe, o treinador Givanildo Oliveira, no intervalo, promoveu duas substituições, mas que não deram resultado. Daí é primeiro bom momento da etapa complementar veio aos 24 minutos, em conclusão de Wanderson para o goleiro Gilson dar um tapa para escanteio. No minuto seguindo veio o gol que definiria o placar. O atacante do ASA recebeu passe em profundidade do meia Didira e deu nova arrancada, sendo seguido pelo armador Leanderson, mas agora tocou com perfeição ante a saída do arqueiro do Treze já na grande área.

O ASA esteve para fazer o quarto gol com o meia Didira, que desperdiçou duas grandes oportunidades – uma logo após o terceiro gol e a outra já nos acréscimos. Já o Treze, além de voltar a perder, ainda terminou a partida com dez homens em campo por conta da expulsão do armador Leandrinho quando o árbitro já estava prestes a dar o apito final.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Copa do Brasil: Santa Rita empata (1x1) com Santa Cruz e vai às oitavas

Time alagoano pode agora enfrentar um dos times brasileiros eliminados na Copa Libertadores. Sorteio sai na próxima segunda-feira
Gazetaweb - texto de Francisco Cardoso

O time do Santa Rita enfrentou esta noite o Santa Cruz no Estádio do Arruda, em partida válida pela terceira fase da Copa do Brasil e ficou no empate por 1x1. Como havia ganho na semana passada por 3x2, no Estádio Rei Pelé, a equipe de Boca da Mata, no placar agregado, venceu o tricolor pernambucano por 4x3.

A partida foi transferida para esta quinta-feira por causa do falecimento do candidato à presidente da República, Eduardo Campos, ontem (quarta-feira). O político Eduardo Campos era pernambucano.

Os gols da partida foram assinalados por Rafael Silva (Santa Rita), no primeiro tempo, e por Betinho (Santa Cruz), no segundo tempo.

Agora, próximo adversário pode ser uma das equipes que participaram da Copa Libertadores. Segundo o site da CBF, o sorteio será às 11h da próxima segunda-feira. Na mesma data, as 14 horas, serão definidos também os mandantes dos primeiros jogos.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Mistério na escalação: CRB treina mais uma vez com portões fechados

Nomes de Clebinho e Jeferson Maranhão são especulados para começar clássico diante do ASA
Hotton Machado*
Mistério no CRB para o clássico diante do ASA. Adotando os treinos com portões fechados desde o começo da semana, o comandante alvirrubro, Ademir Fonseca, promoveu mais uma preparação, na tarde desta quinta-feira (07), sem a presença de torcedores e imprensa no Estádio Nelson Peixoto Feijó. E para o dérbi da próxima segunda, os nomes de Clebinho e Jeferson Maranhão são especulados para começar a partida.

O clima de segredo quanto à formação do CRB para o clássico e às jogadas trabalhadas visando surpreender o adversário tem o aval dos jogadores, que, de acordo com o zagueiro Gabriel, pode ajudar para que a equipe “vença, cresça no campeonato e possa voltar ao nosso G-4”.

“Treinar com portões fechado não é questão de se sentir mais a vontade, é para trabalhar outros aspectos. O adversário é nosso vizinho, tem sempre alguém olhando os treinamentos, observando as informações importantes, tenho certeza que do lado de lá eles estão fazendo da mesma forma, usando o mesmo sistema”, pontuou.

Para o atacante Jeferson Maranhão, o mistério no esquema tático cria um clima de apreensão para quem está fora do clube, mas que serve para dar mais tranquilidade ao grupo e que, para um clássico, o ambiente no time durante a semana tem que estar ideal. O próprio Maranhão pode ser uma das surpresas para a partida e, perguntado se atuaria como titular na segunda, o jogador foi evasivo, declarando à Rádio Gazeta que “só Ademir Fonseca sabe, e tem que ser sigiloso, responder desse jeito”.

“Clássicos são decididos em detalhes e eu estou pronto, focado. A decisão é do Ademir e vai ser bem-vinda pro grupo, que seja eu, Clementino, Magrão ou quem for no ataque, que o professor possa fazer as melhores escolhas e o grupo assumir o compromisso de defender o CRB”, completou.

Outra novidade que pode surgir na escalação dos onze que iniciam a partida é o meia Clebinho. Recuperando de fratura sofrida no nariz, o jogador ficou apenas no banco diante do Cuiabá e não entrou no decorrer da partida. Nesta semana, Clebinho treinou normalmente, aparentemente recuperado das dores na face.

Os jogadores do CRB retornam somente na tarde desta sexta-feira (08) para mais um trabalho técnico e tático. E o clima de mistério continuará, o grupo regatiano segue com a preparação com portões fechados.