Total de visualizações de página

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Com Taffarel e Mauro Silva, Dunga anuncia comissão técnica da Seleção

Ao lado do coordenador Gilmar Rinaldi, treinador confirma ex-goleiro como preparador
Globoesporte.com
O técnico Dunga e o coordenador Gilmar Rinaldi anunciaram, na tarde desta quarta-feira, a nova comissão técnica da seleção brasileira. Titular nas Copa de 1990, 1994 e 1998, Taffarel está de volta. Ele será o preparador de goleiros, cargo que vinha exercendo no Galatasaray, da Turquia. Taffarel trabalhou com Dunga em 2010, como olheiro na Copa do Mundo. O cargo de auxiliar-técnico será de Andrey Lopes, que trabalhou recentemente com Dunga no Internacional.

Outro atleta campeão da Copa do Mundo de 1994, Mauro Silva também fará parte da comissão técnica.

- São pessoas que têm o DNA de campeão - disse Dunga, durante o anúncio, no site da CBF.

No entanto, segundo Gilmar Rinaldi, o ex-volante será um auxiliar-técnico pontual para os primeiros amistosos. A CBF pretende convidar ex-jogadores para colaborar em determinados jogos.

- O Mauro Silva será um auxiliar-técnico pontual. Teremos alguns jogadores convidados para nos ajudar. E o Mauro Silva foi o primeiro convidado para esses nossos primeiros jogos - revelou Gilmar Rinaldi.

O preparador físico Fábio Mahseredjian também foi confirmado. Ele vai substituir Paulo Paixão, que deixou a seleção brasileira com a antiga comissão técnica. Quem segue na Seleção é o médico Rodrigo Lasmar, do Atlético-MG.

Dunga foi confirmado como novo técnico da seleção brasileira nesta terça-feira. Ele retorna ao comando da equipe após quatro anos. Sua primeira convocação nesta nova fase será no dia 25 de agosto, quando ele chamará atletas para os amistosos contra Colômbia e Equador, nos dias 5 e 9 de setembro, respectivamente, nos EUA.

A atual comissão técnica da Seleção Brasileira está assim formada:

Coordenador técnico - Gilmar Rinaldi

Técnico - Dunga

Assistente técnico - Andrey Lopes

Assistente técnico pontual - Mauro Silva

Preparador físico - Fabio Mahseredjian

Preparador de goleiros - Claudio Taffarel

Médico - Rodrigo Lasmar

Fisioterapeuta - Odir de Souza

Administrador - Guilherme Ribeiro

Assessor de comunicação e imprensa - Vinícius Rodrigues

Analista de desempenho tático - Fernando Lázaro Alves

Chefe de segurança - Moacyr Alcoforado

Massagista - Sergio Luís Oliveira

Roupeiro - Manuel Carvalho de Souza

Roupeiro - Valdeci Leandro do Nascimento

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Leonardo: 'Nunca falei com ninguém da CBF'

Tetracampeão e ex-técnico do Milan estaria disposto a trabalhar no Brasil
Globoesporte.com/Bastidores FC
O ex-jogador Leonardo afirma que nunca foi procurado ou sondado para assumir qualquer cargo na CBF, que promove reformulação depois do vexame na Copa do Mundo.

- Eu nunca recebi nenhum convite, nenhuma proposta de trabalho e realmente nunca falei com ninguém - declarou o tetracampeão, por telefone, de Milão, onde mora.

Na última quinta-feira a entidade apresentou Gilmar Rinaldi como coordenador geral de seleções. Na próxima terça, vai anunciar o treinador que vai substituir Luiz Felipe Scolari.

Leonardo, que foi treinador do Milan e do Internazionale, além de dirigente do Paris Saint-Germain, foi absolvido em todas as instâncias da acusação de ter empurrado um árbitro quando era diretor do PSG - está, portanto, apto a ocupar qualquer cargo em clube ou seleção.

O ex-jogador não fala sobre o assunto, mas, segundo o blog apurou, Leonardo estaria disposto a trabalhar no Brasil, depois de tanto tempo morando na Europa.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Ex-dirigente da CBF, Américo Faria critica saída de Felipão e Parreira

Ligado a cargos executivos do órgão por mais de 20 anos, ex-supervisor da Seleção é favorável à continuidade do trabalho e cita falta de planejamento

GloboEsporte.com
Calejado, firme e detentor de um vasto currículo. Com cerca de 20 anos de experiência em cargos executivos na CBF, Américo Faria acumula na bagagem duas conquistas de Copa do Mundo, em 1994 e 2002. Não tão conhecido pelo público por estar sempre vinculado a funções burocráticas, se desligou da entidade ao "cair abraçado" com Dunga, no fracasso do Brasil no Mundial de 2010, na África do Sul. No entanto, atualmente, pouco mais de quatro anos depois, mas com a mesma fala mansa que denota respeito, volta à tona para defender o trabalho feito por Felipão e Parreira que culminou no terceiro lugar no Mundial.

Indo na contramão da opinião pública, Américo Faria não concorda com a saída de Felipão e se mostra favorável à continuidade do projeto feito nesta Copa do Mundo. O ex-supervisor da CBF exime a comissão do vexame e acredita que a derrota brasileira se deve ao fato de os atletas não terem rendido o que esperado.

- Ganhar uma Copa do Mundo é muito difícil. O problema não foi a convocação. O problema é que os jogadores não renderam o que era esperado deles. Eu sou a favor da continuidade do trabalho. Infelizmente acho que o Felipão não teve o tempo necessário para o amadurecimento do trabalho. Mas acredito que o planejamento deve ser feito independente do resultado - disse.

Américo Faria critica ainda a postura de mudanças drásticas após derrotas contundentes. O ex-dirigente pede cautela aos homens fortes da CBF na hora de definir quem vai ser o próximo comandante do Brasil e os rumos da Seleção até o Mundial da Rússia, em 2018.

- Evidentemente que todos querem atingir um objetivo imediato. Mas às vezes ele não acontece tão próximo. Não acredito que esteja tudo errado com o Brasil. Após 2010 só se falava de Espanha e, agora, a Alemanha é que está no centro das atenções. Ganhar uma Copa depende de uma série fatores. Precisamos ter cautela para tomar as decisões. Planejamento é fundamental - concluiu.

A CBF deve anunciar o substituto de Felipão nos próximos dias. Depois de "aceitar o pedido de demissão" do treinador e de Carlos Alberto Parreira, a CBF demitiu na última terça-feira o diretor de comunicação Rodrigo Paiva. E também decidiu não trabalhar mais com o médico José Luis Runco e outros integrantes da comissão técnica.

Américo Faria dirigiu o Boavista no Campeonato Carioca deste ano - vencendo a Taça Rio, destinada aos pequenos - e agora procura um novo clube após se destacar no comando da equipe.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Aldo quer mudanças no futebol e pensa em plano para segurar jovens

Globoesporte.com
Por Alexandre Alliatti e Vicente Seda

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, entrou na onda de sentimentos de que o futebol brasileiro precisa mudar. Nesta segunda-feira, em cerimônia oficial de balanço da Copa do Mundo no Maracanã, o representante do governo comentou a derrota para a Alemanha, que tratou como “tragédia futebolística”, e afirmou que o futebol brasileiro precisa ser repensado.

- Quero registrar uma palavra de carinho com minha seleção, também colhida por certa tragédia futebolística. Não estamos acostumados a placares tão elásticos. Mesmo a Alemanha já levou oito em uma Copa. Nós não estávamos habituados. Nossos jogadores e torcedores sentem muito isso, mas o futebol não é o reino da justiça: é o reino da emoção. Nossa Seleção era a que mais precisava desse título, porque jogava em casa; talvez a Argentina fosse a que mais quisesse; talvez a Holanda merecesse ir para a final. Mas a Alemanha soube ganhar seus jogos. Tivemos um grande clássico, que honrou o futebol mundial. O Brasil precisa repensar o que fazer, para se recuperar e se preparar para a copa de 2018, na Rússia – disse ele.

Aldo sugeriu que um dos principais problemas a ser corrigido é a saída precoce de jogadores do Brasil. Ele deu sinais de que o governo pretende agir para evitar aquilo que ele chama de "colonialismo futebolístico".

- Quando acontece uma pequena tragédia futebolística, que acho que foi mais um acidente, que se jogarmos 100 vezes não vai se repetir, as pessoas surgem com sugestões fáceis, rápidas. É preciso agir com prudência para encontrar caminhos para melhorar nosso futebol. Há problemas sérios. Conversei com o treinador da seleção de base da seleção, e ele disse que precisa observar os jogadores da seleção sub-15 na Europa. Nossa legislação impede que essas crianças sejam tratadas profissionalmente. Não podem permanecer nos departamentos dos clubes e vão para a Europa em busca de condições melhores oferecidas aos pais. A Fifa proibiu transferências de menores de 18 anos, mas os clubes contratam os pais dos jogadores, e você não pode proibir que o filho acompanhe o pai. É um colonialismo futebolístico exercido pelos clubes ricos da Europa na sua relação com a fragilidade dos clubes sul-americanos e africanos. O governo tem consciência desse desafio. Há uma vedação constitucional, porque o esporte é tratado como coisa privada, mas vamos procurar defender o interesse nacional preservando a autonomia das entidades.

Após a fala do ministro, o secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, entrou no assunto e disse que o órgão já trabalha para combater transferências de atletas menores de idade.

- Como sabemos que existem abusos, cada transferência sub-18 precisa ser aprovada por um subcomitê. É um grande número. Milhares. Muitas não foram aprovadas, porque é uma tentativa de uso da família. Estamos batalhando para garantir que não exista escravidão de crianças pelo mundo.

Cobras recolhidas

Aldo Rebelo ironizou reportagens da imprensa internacional, com relatos exagerados sobre o que os turistas poderiam encontrar em cidades como Manaus.

- Agradeço mesmo àqueles que duvidavam de nossa capacidade. Em Manaus, as cobras se recolheram, nenhum cachorro louco mordeu turista algum.

Na visão do ministro, a maior conquista para o país, após o Mundial, pode ser a boa imagem deixada pelo país – e a possibilidade de que os turistas retornem ao país.

- Somos um povo mestiço no sangue. Para nós, ninguém é estranho. É como se fosse um de nós também. Todos os turistas e jornalistas partirão do país com essa marca, essa lembrança, essa memória, essa emoção. E que sintam vontade de retornar é o maior presente que podem nos deixar.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Felipão diz que Seleção vai jogar por Neymar: 'Por tudo o que fez por nós'

Treinador afirma que Seleção já superou a tristeza e agora busca vitória
Glogo Esporte
O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, concedeu entrevista coletiva oficial pré-jogo da Fifa, nesta segunda-feira, no Mineirão. E, como não poderia deixar de ser, abordou a saída de Neymar do grupo, por conta de lesão, e prometeu que a equipe também irá jogar nesta semifinal, contra a Alemanha, pelo seu camisa 10, que está fora da Copa do Mundo.

- A motivação adicional que nós temos que acrescentar é a passagem, a cada jogo, de uma etapa. Naturalmente que o Neymar, aos nos deixar, deixou muito dele conosco, e levou muito de nós com ele. Nós já terminamos essa fase de envolvimento, desse aspecto que ficamos tristes, desde que sabíamos que não poderíamos ter mais o Neymar, e ele na primeira oportunidade depois de estar mais tranquilo, nas manifestações e jeito de conversar, fez com que os jogadores entendessem que a parte dele ele tinha feito e agora é a nossa parte que temos que fazer. A minha, dos jogadores e de todo o povo brasileiro. Nós não vamos estar jogando apenas por nós, por nosso país, por tudo que imaginamos e sonhamos, mas também pelo Neymar, por tudo o que fez por nós.

Felipão falou também sobre o relacionamento com o grupo que, segundo ele, já o conhece só no olhar, assim como ele também já está acostumado com cada jogador.

- Ontem quando fui conversar com eles depois do jantar, vi uma série de risadas, coisa e tal, fiquei escondido um pouco e vi o quanto o David me imitava, no jeito de falar, de olhar, sinalizar. Depois eu brinquei. Acho, sim, que eles me entendem, porque não é muito difícil para uma pessoa me entender, saber como me sinto bem ou mal, chateado ou não. Transparece muito nas feições e não tem como enganar. Eles sabem porque já convivemos um ano e meio juntos nestes jogos o que a gente deseja, como deseja, ou quando acontece algo que não está ocorrendo dentro daquilo que a gente preparou. É só olhar e a reação acontece de ambas as partes. Assim como eu os conheço bem, eles também me conhecem bem.

Felipão ainda não divulgou como vai montar a equipe brasileira para a decisiva partida contra a Alemanha. O treinador não contará com Neymar, lesionado e fora da Copa, e Thiago Silva, que recebeu o segundo cartão amarelo contra a Colômbia e está suspenso da semifinal. A decisão, inclusive, já foi tomada, mas não foi revelada na coletiva.

- Eu já tenho, mas não vou divulgar.

O Brasil enfrenta a Alemanha pelas semifinais da Copa do Mundo, nesta terça-feira, às 17h, no Mineirão, em Belo Horizonte. O confronto valendo vaga na grande decisão da competição será transmitido ao vivo pela TV Globo, SporTV e GloboEsporte.com. O site também acompanha o duelo em Tempo Real.

Confira os tópicos da entrevista de Scolari:

CONHECE O TIME PELO OLHAR 
Eu acho que sim, inclusive ontem pude conversar com eles depois do jantar, vi um monte de risadas, fiquei escondido um pouco. E vi como o David me imitava com jeito de falar, olhar, e brinquei: "Tá bom". Eu acho que eles me entendem. Porque não é muito difícil me entender, eu acho que transparece muito minhas feições, não tem como me enganar. E eles sabem, porque convivemos juntos há um ano e meio, o que a gente deseja. Assim como eu os conheço, eles me conhecem bem, e isso ajuda que haja um bom entendimento em determinados momentos.

NEYMAR
A motivação que nós temos que acrescentar, é a passagem a cada jogo de uma etapa. Naturalmente que Neymar, aos nos deixar, deixou muito dele conosco, e levou muito de nós com ele. Nós já terminamos a fase de envolvimento de ficar tristes, desde que sabíamos que não poderíamos ter o Neymar. E ele, nas suas manifestações, fez com que os outros entendessem que a parte dele estava feita. Agora é a nossa parte que temos que fazer. Esse jogo é importantíssimo, pode nos levar a uma final. Vamos jogar por nós, pelo nosso país, e um pouco de cada um de nós pelo Neymar. Está superada essa situação.

ARBITRO DA MORDIDA
Se ele não viu, não viu (mordida do Suárez). Muitos lances acontecem em que o árbitro não viu uma falta, um lance qualquer, diferente. Este foi um lance inusitado, ele estava olhando a bola, para isso tem auxiliares e tudo mais. Pelo que sabemos, (Marco Rodríguez) é um árbitro em sua terceira Copa, experiente, deve ser uma das escolhas corretas da Fifa para apitar nosso jogo.

TIME
Não. Eu já tenho, mas não vou falar.

MEIO DA ALEMANHA
Não. Eles mostram equilíbrio em todos os setores. Tanto na defesa, no meio, no ataque. Plano de jogo muito bom. Não se pode pensar numa situação de tranquilidade porque A ou B não jogam. Equilíbrio da Alemanha é muito grande, e vem há seis anos sendo organizado para este Copa. É sinal de que tem bom equilíbrio, balanço, trabalho da equipe. E a sequência de trabalho dá resultado. Vamos respeitar, também para nos impormos como equipe.

RESPEITO
Temos que respeitar a equipe da Alemanha, pelo que fez, faz e pela forma como joga. Mas não podemos respeitar sem nos impormos. Nossa maneira de jogar é definida antes do jogo, embora o adversário vá se portar assim ou assado, e nós vamos fazer nosso jogo. Podemos criar uma dificuldade para a Alemanha. Temos um padrão de jogo e vamos tentar impor. Já definimos nos nossos treinamentos com a equipe, não vou falar aqui qual vai ser.

LOW CRITICADO
Não é só na Alemanha que criticam técnico. Eu também não sou apropriado para ganhar a Copa. É tudo igual.

2002
Nós ganhamos em 2002 com o Brasil, mas eu perdi 2008 com Portugal, depois também perdi o terceiro lugar em 2006 com Portugal. Portanto tenho duas derrotas e uma vitória. Para igualar, tenho que ganhar amanhã. Espero que o Brasil jogue bem, vença, as lembranças são muito boas. A amizade, o ambiente que se criou com determinados jogadores. Em 2006 encontrei o Kahn depois do jogo, eu o parabenizei e ele disse: "Essa eu não queria, eu queria a outra". É um jogo muito difícil. Nós lutamos muito para chegar até as semifinais, crescemos de produção e chegamos até a semifinal. A Alemanha já estava no nosso projeto de chegar a final, e temos que passar para chegar ao objetivo de chegar a uma final em casa.

TRÊS VOLANTES E DANIEL
Se eu jogar com três volantes, uma das condições que posso jogar, é dar liberdade aos laterais. E se jogar com dois, vou dar menos liberdade, mas acrescentar alguma situação diferente para causar algum prejuízo para Alemanha. É só isso o que eu posso dizer.

SEM NEYMAR
Não foi fácil decidir. Mas não esqueça o que eu sempre passo a vocês, é que tenho um grupo de trabalho espetacular, o Galo e o Roque Júnior. Assistimos aos jogos, e quem nos deu a confiança de que vamos fazer o certo, o correto, foram os observadores, o Galo e o Roque. Quando tem um grupo de trabalho, confia e diz assim: "É esse o nosso grupo", a gente fica tranquilo para a escolha. Já estava definido, escolhido. Menos dor de cabeça, eu já disse que durmo bem, o que eu mais faço é dormir. Estamos todos aqui dando o melhor, está passo a passo. Muitas vezes de uma forma não muito bonita ou linda, mas passo a passo vamos tentar conseguir mais uma vitória.

MOTIVAÇÃO
Desde o início tínhamos que nos superar. Temos que nos superar para conseguir aquilo que queremos. O Neymar que era uma referência não vai estar presente, mas temos uma equipe com outros 22 escolhidos a dedo e sabem que são especiais. Ontem conversamos sobre "o que é ser reserva". É alguém especial, para um momento especial. Entrar num momento tão importante como esse. Aquele é mais especial do que quem está jogando, porque pode fazer a diferença. É o que estamos passando aos nossos jogadores, é o que eles sentem. Vamos sentir falta da competitividade, a forma como o Neymar jogava. Mas temos condições de passar e seguir em frente. Vamos jogar por nós, pelo Neymar, e do grupo desde o início, que é a classificação para a final.

LUIZ GUSTAVO E DANTE
Eles são importantes no dia a dia, com informações sobre determinados jogadores, como gostam de se comportar, preferências, lados, dribles. E que a gente depois vai acrescentando nos vídeos quando passa a eles sobre a forma de jogar. Eles preenchem com dados que nós deixamos de lado. E esses dois jogadores falam muito sobre os colegas e como se comportam.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Árbitro da mordida de Suárez apita a semifinal entre Brasil e Alemanha

Mexicano Marco Rodríguez, de 40 anos, que esteve envolvido na polêmica partida entre Uruguai e Itália, na fase de grupos, comanda o jogo da próxima terça-feira
GloboEsporte.com
O mexicano Marco Rodríguez, de 40 anos, será o responsável por apitar o duelo entre Brasil e Alemanha, na próxima terça-feira, às 17h (de Brasília), no Mineirão, em Belo Horizonte, pela semifinal da Copa do Mundo. Neste Mundial, o árbitro comandou a polêmica vitória do Uruguai sobre a Itália por 1 a 0, na fase de grupos. O jogo ficou marcado pela mordida de Luis Suárez no ombro do zagueiro Chiellini. Ele apenas conversou com o atacante uruguaio após o lance e não o puniu com cartão. Naquela oportunidade, Rodríguez expulsou o meia Marchisio minutos antes por uma entrada dura em Arévalo Rios, o que gerou bastante reclamações por parte dos jogadores italianos. Além deste vermelho, o juiz distribuiu quatro cartões amarelos no confronto.

Rodríguez, que está em sua terceira Copa do Mundo, terá como auxiliares os compatriotas Marvin Torrentera e Marcos Quintero, que também estiveram com ele na partida entre uruguaios e italianos. Além deste jogo, o trio trabalhou na vitória da Bélgica sobre a Argélia por 2 a 1, na rodada de abertura. O mexicano ainda apitou, entre outros jogos importantes, a final do Mundial de Clubes de 2007 - Milan 4 x 2 Boca Juniors - e a semi de 2012 - Corinthians 1 x 0 Al Ahly.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Bruna Marquezine pode estar grávida do craque Neymar



A atriz Bruna Marquezine, 18, não quis fazer um exame médico exigido pela Globo. Segundo o colunista Leo Dias, do jornal "O Dia", o departamento de recursos humanos da emissora tentou agendar diversas datas diferentes, mas a atriz não cooperou.
 Por causa disso, iniciou-se um 'fuxico' nos bastidores da emissora de que a namorada de Neymar poderia estar grávida.
O departamento de Recursos Humanos informou o ocorrido para a alta cúpula da Globo. Bruna teria virado uma fera e teria gritado: "Eu tô cagando pra Globo!!!" O veículo entrou em contato com a assessoria da famosa que negou o episódio.


Fonte: Yahoo Brasil